segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

estou confusa

eu fui no shopping ontem de noite pra assistir amor e outras drogas, quando eu cheguei no shopping ele tava praticamente vazio, e não sei direito o que aconteceu, sei que eu olhei a mesa que tu sentou no dia em que eu te vi no shopping e comecei a chorar muito, eu comecei a olhar as lojas, tudo e apesar de eu nunca ter ido contigo no shopping, tudo me lembra você, nesses ultimos quase dois anos, eu fui no shopping no minimo uma vez por semana, e todas essas vezes eu estava pensando em você, eu escrevi a carta que te dei no seu aniversário, no shopping, eu comprei a caixinha do teu presente no shopping, eu dobrei bem direitinho a camiseta que eu te dei e botei dentro da caixa e eu estava no shopping, eu fiz tanta coisa para você, por você ou pensando em você, que há poucos lugares nessa POA pequena que não me tragam na mente você, eu sei que tu não vai ler isso, tu nem quer saber de mim. Ontem juro que quase te liguei mesmo que da ultima vez o telefone nem chamasse, ontem eu não sabia mais, se eu tivesse ligado e tu me atendesse acho que eu nem ia conseguir falar de tão mal que eu tava, e foi por isso que não liguei, realmente não queria que tu me ouvisse mal daquele jeito, eu quero tanto que a gente volte a se falar, eu não sei mais o que fazer, o que dizer, eu não consigo achar uma solução.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Observando o mundo parece que nada se encaixa ao que eu quero

Há você, há outras pessoas e o resto, assim mesmo, como se você estivesse num pedestal, tivesse ganho a competição sem nem precisar competir. Me pergunto se isso é errado eu mesma me respondo que sim, ora, não há desafio, não há medo de perder, nem certeza de que ganhou. Meu dia foi como todos os outros depois que as adversidades me roubaram o brilho do seu olhar mesmo que por fotos, não há mais contato, tudo porque você não confia em mim, porque eu não soube me mostrar durante esses quase dois anos uma pessoa confiável, porque desperdicei oportunidades de lhe mostrar quem realmente sou, e o quanto sincero é o amor que eu sinto. Fico procurando em tudo uma forma de te encontrar um timbre de voz parecido e lá vai eu, torcer o pescoço como uma coruja, pois, vai que seja você, um garoto que de costas seria parecido, lá vou eu apertar o passo, eu só queria te ter por perto do jeito que fosse, mas sentir que ainda existe chance de viver um futuro implacável ao seu lado, eu só queria que alguém pudesse me dizer que é possível, eu já errei muito, já descumpri promessas feitas a você, mas juro que a dor no meu peito hoje me impediria que não cumprir qualquer coisa que prometesse, se alguém me dissesse que é possível eu faria o possível e o impossível para ter você aqui.
Tentei falar com você, faz um ou dois dias, dia 21, meia noite e pouco, mas não consegui falar e achei que era insistência demais ligar de novo, pois eu já tinha adicionado e não me deixou nenhuma dúvida de que realmente não queria saber o que eu queria dizer, mas se quiser se me der qualquer sinal....

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

E se for pra falar de amor, você sempre será a minha inspiração.

Há muitas coisas que eu deveria ter feito e não fiz, há muitos erros que hoje refletem a tristeza que sinto, mas eu realmente queria poder te dizer que tudo o que eu não fiz e o que eu fiz, foi porque te amo.
Eu acordo todo dia tentando acreditar no futuro, tentando acreditar que um dia você voltará a falar comigo, que um dia você será capaz de confiar em mim. Tive meus erros, mas eu garanto que nunca mentiria a respeito de você, eu te amo, e seria incapaz de fazer qualquer coisa que pudesse te causar algum mal, não que isso importe hoje, não importa, nada importa, eu nem tenho chance de dizer um pouco disso a você.
Criei esse blog porque nem que seja para mim, sozinha, mas eu preciso desabafar, eu preciso sentir que o que eu sinto não é tão absurdo, preciso escrever tudo aquilo que você deveria, mas não quer saber, aquilo que você não lerá; quem sabe um dia, se a gente formar um casal, ai eu poderia te mostrar isso, e rir, de toda essa insegurança, de todo esse medo que sinto de nunca mais enxergar o brilho dos seus olhos, nunca mais ver um sorriso seu para mim. Sabe eu choro só de pensar que a única pessoa que eu realmente fui capaz de amar nesses meus 18 anos, partirá assim, dói tanto, eu fico me perguntando porque tanta injustiça? Como alguém pode ser capaz de inventar algo que machucasse tanto duas pessoas? O que eu fiz de tão ruim para alguém me fazer tanto mal?
Eu espero que as minhas futuras postagens sejam melhores a seu respeito, quero poder entrar aqui, e dizer tudo aquilo que me encanta em você, quero poder dizer que vi você, estar feliz porque é melhor coisa que poderia ter acontecido.