domingo, 24 de abril de 2011

Simples!

Só estou escrevendo rapidinho para desejar a quem lê uma boa páscoa com muito mais do que chocolate, com alegria, saúde e felicidades a todos! beeijos

sexta-feira, 22 de abril de 2011

normal.

 Hoje vou escrever um texto de gente normal, tipo redação de colégio.
 Primeiro, eu não andei escrevendo porque ando extremamente ocupada, não há tempo para nada, absolutamente nada, estudo de manhã, de tarde e até de noite se for preciso, mas quando eu passar na UFRGS vou me orgulhar disso e dizer que valeu a pena.
 Como eu não ando escrevendo direto as pessoas não tem como saber como eu estou vivendo, me sentindo, reagindo, sei lá, a pergunta depende da visão de cada pessoa, mas para resumir, num todo eu estou legal, tenho meus dias de bipolaridade, acordo muito bem e durmo chorando, mas isso é exceção a regra é a velha, cansativa e entediante, mesmice, acordar e passar o dia SEM SAL, vivendo sem sentir o bom da vida, uhuul, viva a rotina, ela faz isso com a gente! E eu só curto viver de rotina, porque se eu for ficar refletindo e desejando que cada minuto seja intenso isso, por mais bizarro que pareça, não vai me trazer outra coisa senão a angústia, vou lembrar que sou pobre, que tem coisas que eu queria e não posso ter ou fazer, que tem várias pessoas com quem eu quero falar, porque me alegram, mas não posso mais, e sinceramente já estou me irritando com isso e o assunto acaba aqui, viva a rotina!
 Quem quiser me encontrar de tarde, com exceção dos dias que tem plantão, é só ir na sala de estudos da PUCRS e me verá lá, linda, linda enfiada nos livros, normalmente, calculando.
 Nessa páscoa eu fui caridosa, dei quatro caixas de bombom para as pessoas mais próximas, e um presente lindo pra Karina, peguei das minhas economias e fiz pessoas felizes, acho que economizo só pra poder dizer que compro do MEU dinheiro, bom que eu economizo do dinheiro que o pai me dá, mas enfim... ASIJSAIASJA
 QUERO<PRECISO<PEÇO, um moletãozão para alguma alma bondosa que tenha dinheiro, no cursinho o ar-condicionado é muito frio, eu saio de lá fungando feito uma criança com resfriado, e os olhos vermelhos como se eu tivesse me chapado, é tenso :S, mas eu adoro, e confesso que se eu um dia for multimilionária eu vou fazer um colégio estilo cursinho para as crianças rirem mais desde pequenas e acharem os professores o máximo, quem sabe até queiram ser professores?!
Bom, hoje eu estou com vontade de falar, falar, falar sem parar, e se não fosse ficar muito chato eu ficava aqui fazendo teorias e dando a minha opinião até sobre a fechadura, que por sinal tá fazendo muito barulho e tem que botar óleo. IASJSAIAJS
Boa semana pra voceixx se eu não entrar essa semana aqui, prometo fazer um texto mais bonito semana que vem, tô sem ânimo hoje pra falar da grandiosidade das coisas simples!

domingo, 3 de abril de 2011

Tudo parece música

Se eu ouço uma música e fecho os olhos, ou se simplesmente fecho meus olhos é você que vejo. Em diferentes ritmos, em diferentes imagens. Meus dias não são seus, minha rotina não é sua, mas minha imaginação, meus sonhos tanto os conscientes quanto os inconscientes são. O meu amor, o meu sentimento é seu. Mesmo que eu tente fazer isso mudar, é porque é, e ao mesmo tempo que parece dever deixar de ser, parece ser a cada dia mais o insubstituível não vivido, mas o primeiro amor, algo que me faz amar a vida e o mundo. Complexo demais para a minha mente, mas o meu coração parece em todos os sentidos, amar!

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Fazer parte..

  Não há certeza em nada que ando fazendo, mas há suavidade, há tranquilidade, há uma alma em que o choro já não é constante e que o sorriso faz, na maior parte do tempo, parte.
 Um sorriso que existe por ter lembranças de sentimentos nobres, por ter alegria ao reconhecer a grandiosidade do há no meu coração e a certeza de ter tentado por longo tempo fazer feliz quem me fazia feliz com um simples sorriso, ter orgulho de hoje poder dizer que cresci com as quedas, com os obstáculos e com honestidade, poder sair pelas ruas cantando alto sem me importar com nada, sem me sentir culpada, sem chorar toda vez que passar por lugares que me tragam lembranças do passado. Lembranças hoje me fazem sorrir, me fazem um bem incalculável. São lembranças de diversos tipos: As lembranças vagas, mas cuja emoção define muito mais que qualquer detalhe, as lembranças "perfeccionistas", com som de pássaros, música de fundo, vento, cheiro, cores, coisas que pela simplicidade me encantam.
  Pela primeira vez na vida eu estou me sentindo totalmente de bem comigo, eu estou me amando. Me olho no espelho e não me canso, eu me adoro.
Adoro ver o meu rosto e lembrar que meus olhos viram uma porção de coisas, que infelizmente minha mente não é capaz de lembrar com perfeição e totalidade; adoro ver a porção de detalhes que eu procurava e reparava em todos, mas deixava de ver em mim, enfim, eu poderia ficar citando as diversas peculiaridades que ando reparando, mas não, eu não quero, só quero recomendar a todos uma introspecção, uma vontade e uma certeza de que o amor pelo mundo começa pelo amor próprio.
 Não sei se o que estou sentindo pode ser felicidade e me parece muita audácia dizer que estou me sentindo realmente feliz, porque apesar da banalização da palavra felicidade, muitas pessoas passam uma vida inteira tentando se sentir realmente felizes. Não sei se é felicidade, mas estou bem e espero que isso signifique o começo de uma fase de realizações.