segunda-feira, 14 de março de 2016

Sozinha

Eu pensava que estar sozinha era a pior coisa que existia e ninguém que me dissesse o contrário poderia me convencer.  Ninguém parecia entender. O nosso cérebro nos sabota e é necessário que tenhamos consciência disso. Ele nos leva aonde a gente não quer de fato estar, a gente acaba criando uma falsa realidade que seja confortável pra gente. E mente, dentro de si mesmos o tempo todo.  É um jogo entre o conforto e a vontade. O que não tiver chance de queda é o que nos iremos preferir a primeira vista, mas não é o que queremos por raciocínio.  E assim eu fui, provar pro mundo que eu sabia o que queria pra mim, que eu sabia exatamente o que eu estava fazendo quando eu procurava pessoas aleatórias pra suprir uma necessidade que eu não tinha. O mundo vai usar as tuas inseguranças sem querer ou de propósito,  quanto mais tu sentir mais transparente tu será.  Quando você se sente sozinha as pessoas conseguem perceber e se para elas for produtivo, ali estarão elas, ao seu lado, suprindo a necessidade que você tem, te dando a falsa sensação de felicidade,  é uma euforia, não uma realidade e você nunca soube lidar com isso, os sentimentos não são coisas com as quais sabemos lidar. Pronto,  estamos na mão do destino,  ou quem sabe,  na mão de quem?  Era melhor estar sozinha.