segunda-feira, 14 de agosto de 2017

"Podem me tirar tudo que tenho, só não podem me tirar as coisas boas que eu já fiz pra quem eu amo"

Talvez essa frase seja a que melhor ilustra minha vida. Por tantas vezes eu me entreguei, por tantas vezes eu me deixei acreditar ou iludir, e uma coisa é tão próxima da outra, a fé e a ilusão se usurpam com muita facilidade. Eu sempre dou o melhor de mim, o que de melhor eu tenho pra todas as pessoas com quem me envolvo. Acredito que a gente só deve se propor a entrar em algo se for pra mergulhar mesmo. E é claro que eu sempre saio aos pedaços quando as coisas acabam, a gente espera  receber amor quando dá amor. Quando a gente da as mãos, compartilha dores, sonhos, palavras e sentimentos a gente espera essa mesma doação, espera reciprocidade. Talvez o meu maior erro e a minha melhor qualidade seja esperar que as pessoas tenham a coragem que eu tenho, de não se importar com os obstáculos e se atirar de cabeça quando vê que é isso que o coração quer. Essa sede que eu tenho de ser feliz e a consciência de que isso pode me machucar, mas sempre será a melhor escolha eu dar o melhor de mim a quem eu sentir que me desperta os melhores sentimentos.

"Mas e se quiserem te machucar?", "E se tu não for tão importante para os outros quanto eles são pra ti?" . -Toda vez que eu mostro o meu melhor e convido as pessoas a ficarem, quem perde indo embora são elas. Talvez seja prepotência minha pensar assim, mas é tão difícil encontrar pessoas que gostem da gente e nos abracem do jeito que somos por dentro e por fora que tenho muito claro pra mim que é uma perda incalculável a de partir sem viver o amor que eu tenho pra dar. No fim das contas, precisa de muito mais coragem do que pra ficar, do que pra lutar por mim, mas as pessoas não costumam pensar tanto antes de se acomodarem com o pouco que a vida está acostumada a dar.