terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Sou puta (um mulherão)

Venho dizer que a palavra choca e se isso for mesmo algo chocante, pois bem, repito. Sou puta! 
Sou puta quando saio de roupa curta, quando uso batom ou unhas vermelhas, quando digo que me acho gostosa, quando amo minhas curvas, quando danço e rebolo, quando uso decote e gosto do movimento dos meus seios, quando convido um homem pra sair, quando falo de sexo, quando confesso que gosto de sexo e mais puta ainda se faço e gosto, que dirá se eu disser para algum cara que gosto de fazer sexo com ele e que quero mais e mais, PUTA, completamente puta!
Fico muito feliz em dizer que esse assunto é um tanto quanto clichê. Anos atrás falar sobre isso, dessa forma, era um absurdo estarrecedor, mas bem, desculpe informar, nessa época eu já era puta. Sou julgada desde bem cedo, tinha nove meses de vida e aprendi minha primeira palavra: oi 😊 lindo, não? Eu dizia oi pra todo mundo, homens, mulheres, crianças, moradores de rua, não importava, dizia oi. Mas já naquela época inocente houve quem tivesse alertado meus pais a me educar pra que eu não fosse assim tão “atirada” (ok, pode ter sido uma boa intenção, até pode..) Por ser simpática, por querer conhecer as pessoas, desde pequeninha, “julgada e censurada”. Sabe, posso citar várias outras ocasiões em que alguém me veria como puta, atirada, essas coisas.., mas quero dizer que isso não me ofende mais, sou sim puta, um puta mulherão!
 E que saibam que eu me orgulho muito de ter a história que eu tenho, de ter enfrentado dificuldades e ter me mantido assim, atrevida, insolente, persistente, capaz de me entregar por inteiro, me envolver,  de ser transparente, de sentir de corpo e alma, de querer sempre entender as coisas, de admitir que gosto das pessoas, de me permitir pular de cabeça e ter consciência de que se cair sei levantar. E digo mais, só sendo esse puta mulherão eu pude aprender tanto. Bati de frente contra Deus e o mundo pra ser heroína de mim mesma e lutar pelo que eu acreditava. Nos momentos em que eu só tinha a mim precisei de muita força, muito atrevimento para ser capaz de ver meus erros, precisei me reinventar para entender cada marca que tenho e saber que o mal que as pessoas fazem diz sobre elas e elas levam isso consigo, não fica aqui. Quando você vê minhas cicatrizes, você não vê o quanto custou pra cicatrizar, não sente a força que teve de ser despendida para me reerguer, me olha e vê desleixo, esquece que as pessoas são capazes de ferir e empurrar. Às vezes a gente não cai por que se descuidou, mas porque fomos ensinados a vida inteira a não sabermos nos defender e então nos empurram. Ah, se eu tivesse sido ainda mais insolente todas as vezes em que quiseram podar minhas asinhas de heroína, talvez não tivesse tantas cicatrizes em mim. 
Preciso de mim assim, destemida, atrevida e forte. Se estou me expondo a riscos? Claro que sim, mas sabe, eu nasci prematura, antes de ter consciência de que estava vivendo, já queria viver cada segundo possível. Tenho sede de viver, me encanto pelo mundo, pelos sonhos dos outros, pelos mundos que cruzam por mim. Posso eu não me expor a isso? Posso eu ser comportadinha e me esconder em casa? Lembre, tenho asas e gosto de voar, quero voltar pra casa se ela for feito abraço e me esquentar o coração. 
 Me encanto pelas cores, por mim mesma. É justo eu não me vestir de mim mesma? Eu exponho minha alma, porque não posso mostrar minha pele? Minha boca vermelha, é demonstração de mim, eu sou assim: amassos pela rua, beijos com o corpo, desejos nos olhos, frases com sentimento... sou assim, a flor da pele, nua, sincera, aberta, e se me envolver, entregue! 
 Tudo isso faz e fez de mim puta? Prazer, com muito orgulho, puta. Com lágrimas nos olhos, sorriso no rosto, marcas por todos os lados, unhas e batom vermelho e uma vida vivida e por viver. 
Agora vem, me encanta, abre seu mundo pra mim e se eu me envolver, bem... Entregue! Um puta mulherão, entregue! Sem joguinhos, sem "quero ver, mas não posso convidar.", as pessoas já me vêm como puta e eu já até gosto do rótulo, então se você é importante isso está em letras grandes em cada ação que eu fizer pra você e se isso fizer eu parecer puta, mais uma vez, orgulhosamente.. puta! Eu valho muito mais por ser de verdade numa sociedade de aparência e a minha demonstração de afeto também vale mais, porque ela é assim como eu, intensa, transparente e sincera. E se eu puder fazer um pedido, que você seja "puta como eu", seja de verdade, tenha uma vida e histórias pra contar, com a consciência dos erros e acertos estampada em risadas e momentos sinceros pra compartilhar!!