sexta-feira, 24 de abril de 2015

É sobre falar com os olhos. Sobre sentir e guardar dentro de si com uma intensidade inexplicável toda vez que eu olhar pra ti. É sentir que mergulho num oceano quando eu olho no teu olho e ao mesmo tempo ter certeza de que tu fala o mínimo com medo de que as pessoas vejam o teu mundo e quão frágil e lindo ele é.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Sobre ser sempre uma criança. E nunca se cansar dos sonhos,  de ser imprevisível e de viver.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Você acha que uma pessoa inteligente é uma pessoa que tem certeza de quem é?  Mas se ter certeza das coisas é um pensamento limitado, uma vez que há uma infinidade de outras visões para se pensar,  não seria uma pessoa confusa uma pessoa inteligente?  Ao menos estaria ela questionando quais as verdades e se há de fato verdades, mas e questionar e a certeza de que se há de questionar não seria uma tolice?

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Saudade

Saudade de simplesmente poder presenciar tu sendo tu mesmo.  Saudade de te ver livre ali, tão perto, tão longe,  fazendo tudo aquilo que tu sabe fazer de melhor,  viver cada momento como se nada mais houvesse. Como se todas as minhas preocupações não fizessem sentido, porque perto de ti, na verdade não fazem!  Saudade do teu sorriso,  que era feito um abraço pra mim,  era confortável,  completo e de verdade!  Saudade. .

terça-feira, 14 de abril de 2015

Quanto mais eu conheço outros caras,  mais eu tenho certeza de que tu é o certo!

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Eu não sei o porquê

Eu me importo contigo de uma maneira bizarra,  eu chego em casa e penso em simplesmente te perguntar se está tudo bem.  Eu gosto de te ter por perto e de ter o prazer indescritível de te ver sorrir ou melhor ainda te arrancar um grande riso. Eu me importo se fiz tudo da melhor maneira possível,  me importo em te deixar livre e em te mostrar o quanto eu me importo e eu me importo tanto contigo que eu me atropelo e fico sem graça, sem ação e reação e sem a menor noção também,  às vezes tímida demais,  às vezes espalhafatosa e no fim tu é a única pessoa que tem a honra de me ver exatamente como eu sou, com todas as minhas loucuras,  medos e imperfeições, e no fim de todos os dias o único medo real é que eu pareça louca demais pra tu querer do teu lado.